O que é um roteador sem fio?

O que é um roteador sem fio?

Um Roteador sem fio consiste, na verdade, em dois dispositivos, um Ponto de acesso e um roteador.

  • Ponto de acesso – permite que os dispositivos sem fio se conectem à rede.
  • Roteador – faz o seguinte:
    • Direciona os dados indo e vindo de dispositivos conectados à rede
    • Permite que dispositivos conectados à rede compartilhem uma conexão única à Internet (através de modem a cabo,DSLou FiOS )
    • Permite que dispositivos conectados à rede se comuniquem uns com os outros

Quando você usa um roteador sem fio, a sua rede é chamada de “rede de Infraestrutura “. O roteador sem fio é o componente principal de uma rede sem fio. Você pode pensar em um roteador sem fio como a estação-base de um telefone sem fio. Outros dispositivos sem fio na rede, como computadores e impressoras, são como os telefones sem fio. Todas as comunicações na rede sem fio passa pelo roteador sem fio, permitindo que os dispositivos conectados sem comuniquem uns com os outros, assim como com o mundo exterior. Muitos roteadores sem fio tem um firewall integrado, para impedir acesso indesejado à sua rede.

Muitos roteadores sem fio também permitem que dispositivos se conectem à rede usando um cabo Ethernet . Então, uma rede doméstica com um roteador sem fio pode ter dispositivos conectados tanto com fio quanto sem fio.
Exemplo rede sem fio

Todos os dispositivos conectados ao roteador sem fio, seja com um cabo Ethernet ou sem fio, têm acesso à mesma rede e podem se comunicar uns com os outros, independente de como se conectam à rede. Por exemplo, um desktop conectado via Ethernet pode imprimir com facilidade em uma impressora sem fio, contanto que estejam conectados ao mesmo roteador sem fio.

Como os roteadores sem fio funcionam?

Os roteadores sem fio transmitem as informações entre os dispositivos conectados a eles, assim como para a Internet, colocando as informações em pequenos “pacotes”. Cada vez que um pacote é transferido, os dispositivos que estão enviando e recebendo (um computador e um roteador, por exemplo) verificam se o pacote foi enviado e recebido corretamente, antes de enviar outro pacote. Esses pacotes podem ser enviados através de uma conexão com ou sem fio ou por ambas (por exemplo, de um laptop sem fio a uma impressora conectada ao roteador com um cabo Ethernet).

Uma das funções principais de um roteador sem fio é facilitar a transferência desses pacotes dentro da rede. Ele faz isso atribuindo um “Endereço IP” exclusivo para cada dispositivo na rede. Você pode pensar em um endereço IP como se fosse o endereço da sua casa. A sua casa seria um dispositivo na rede, e o roteador seria o correio (e os carteiros). Mas, ao contrário do endereço da sua casa, os endereços IP podem ser temporários. Conforme os dispositivos entram e saem da rede, eles podem receber um endereço IP diferente. A função do roteador que executa essa tarefa é chamada de servidor DHCP (Dynamic Host Configuration Protocol, Protocolo de Configuração Dinâmica de Hosts).

Outra das funções principais de um roteador sem fio é compartilhar uma conexão de Internet com vários dispositivos na rede. Seu ISPdá um endereço IP à sua “casa” (do servidor DHCP dele). Esse endereço IP é transformado em um conjunto de endereços IP locais para a sua rede, pelo seu roteador. Os endereços IP locais se parecem muito. Eles são conjuntos de 4 números e se parecem com: 192.168.1.X ou 10.0.1.X. O último conjunto de números na série (X) é o que o DHCP altera para cada dispositivo na rede. O roteador geralmente usa o número “.1” para si mesmo, como em 192.168.0.1. Isso é chamado de Endereço de gateway. Depois, ele dá números similares aos outros dispositivos, como 192.168.0.9.
Roteador

O serviço DHCP de cada roteador tem um número limitado de endereços IP que pode emitir. Em alguns roteadores, como em alguns modelos da Netgear, esse último número pode ser entre 2 e 254. Em outros, como os da Linksys, o intervalo está limitado entre 100 e 149.

Você pode imaginar que, se o endereço da sua casa mudasse toda hora, o correio teria problema para achar você e entregar suas cartas. A mesma coisa pode acontecer em uma rede. Então, pode ser interessante atribuir um endereço IP permanente, imutável (chamado de “estático” ou “manual”) a um dispositivo, como uma impressora, que precisa se comunicar frequentemente com outros dispositivos na rede. Os computadores poderão achar a impressora facilmente na rede, se ela tiver um endereço IP permanente. Algumas impressoras permitem que você faça isso usando as configurações de rede avançadas, no painel de controle da impressora. A melhor maneira de fazer isso é atribuir, à impressora sem fio, um endereço IP que esteja fora do intervalo que o servidor DHCP abrange. Por exemplo, se o serviço DHCP do seu roteador Linksys tiver um intervalo limitado de 192.168.1.100 a 192.168.1.149, um bom endereço IP para a impressora seria 192.168.1.200. Consulte a documentação do roteador para ver o intervalo do DHCP e o intervalo total de endereços IP suportados.

O que são todos esses padrões de sem fio?

802.11 é um conjunto de padrões para comunicação de computadores em rede sem fio. Eles são criados e mantidos pelo Institute of Electrical and Electronics Engineers (IEEE). As versões do padrão 802.11 suportadas mais comumente nos roteadores sem fio atuais são:

  • 802.11b – lançado em 1999, esse padrão está totalmente obsoleto, atualmente. Ele é lento e sua única segurança é WEP, que pode ser quebrado facilmente e torna sua rede insegura. Se você precisar usar WEP, o modo “Aberto” é mais seguro do que o modo “Compartilhado”. Apesar de esse padrão ser suportado na maioria dos roteadores modernos, você só terá razão para usá-lo se você tiver um dispositivo mais velho que funciona em 802.11b. O 802.11b funciona na faixa dos 2,4GHz, o que o torna suscetível a interferência de fornos de micro-ondas, dispositivos Bluetooth, babás eletrônicas e telefones sem fio.
  • 802.11g – lançado em 2003, esse padrão está amplamente em uso atualmente. Ele é muito mais rápido do que o 802.11b e suporta os padrões de segurança mais modernos (WPA e WPA2). Na verdade, 802.11g é mais rápido do que a maioria das conexões de Internet via cabo, DSL e FIOS a que o roteador é conectado. Assim como o 802.11b, os dispositivos 802.11g sofrem interferências de outros produtos operando na faixa de 2,4 GHz.
  • 802.11n – lançado no final de 2009, o mais moderno padrão de rede sem fio é o mais rápido e também o menos sujeito a interferências. Assim como o 802.11g, ele suporta os padrões de segurança mais modernos (WPA e WPA2). O 802.11n pode funcionar na faixa de 2,4GHz ou na de 5,0GHz, menos suscetível a interferências. Um dispositivo funcionando em 802.11n 2,4GHz não pode se conectar a um outro dispositivo em 802.11n 5,0GHz.

 

Compartilhar:

DICAS PARA A BATERIA DO SEU CELULAR DURAR MAIS

Jogos mobile, gráficos avançados, GPS com atualização do trânsito em tempo real, processadores de múltiplos núcleos. A atual geração de smartphones nos permite realizar tantas operações e oferece desempenho tão alto que, seu ponto fraco, muitas vezes, acaba sendo a autonomia da bateria.

Se é ótimo poder chegar e-mails e mapas no smartphones, é terrível ficar sem bateria para realizar uma simples ligação. Para quem trabalha perto de uma fonte de energia, este problema talvez não seja tão grave. Mas e quando precisamos passar o dia na rua, sem uma tomada por perto?

Mesmos nos smartphones mais avançados, há ajustes na configuração que podem reduzir sensivelmente o consumo e aumentar significativamente a autonomia de seu dispositivo.

Veja as cinco atitudes mais eficientes para poupar energia no smartphone.

1 – Vai ficar longe da tomada e a energia está abaixo da metade? Desabilite funções como Wi-Fi, GPS e a conexão Bluetooth. As placas de conexão destas tecnologias consomem muita energia e, interromper seu uso temporariamente, pode mais que dobrar a autonomia de seu smartphone.

2 – Reduza o brilho da tela. Entre todos os componentes do dispositivo, a tela é o que consome maior energia. Em modo noturno, você pouca energia e ainda faz uso mais discreto do aparelho.

3 – Desative notificações de aplicativos. Se não for essencial, vale desabilitar as notificações de email, WhatsApp e outras aplicações. A cada vez que são disparadas, o celular vibra e emite um sinal sonoro, recursos que consomem energia. Isto não significa que você não poderá chegar seus apps, mas apenas que eles não vão mandar avisos a cada vez que uma nova mensagem chegar.

4 – Diminua o tempo de bloqueio automático da tela. Esta atitude simples faz o celular entrar em modo “descanso” logo após você deixar de manipulá-lo. Isto evita, por exemplo, que a tela continue acesa por muito tempo, mesmo após você colocá-lo no bolso.

5 – Feche os apps que ficam rodando em segundo plano. Muita gente não percebe, mas abre diversos aplicativos e nunca os fecha. O resultado é que, às vezes, vários apps ficam abertos e todos consumindo um pouco de energia. Vale deixar “aberto” apenas aqueles que, de fato, você estiver usando.

6 – Se estiver preocupado com o nível de bateria, evite usar algumas funções de alto consumo, como games de corrida, música no alto falante, flash para fotos ou a função lanterna, que usa as lâmpadas de LED do flash para iluminar o meio ambiente.

Se não quiser ter o trabalho de, manualmente, verificar cada um dos itens acima é possível usar apps de gestão de energia, que desligam funções de alto consumo quando estamos na rua e as religam automaticamente quando conectamos o celular a uma fonte de energia.

Um deles é o Du Battery Saver, totalmente gratuito e simples de usar. Du Battery só está disponível para smartphones Android. Veja os reviews de usuários no Google Play e saiba se este é o melhor app para te ajudar.

Além de bom para o usuário de smartphone, economizar energia também faz bem para o planeta.

Compartilhar:

Como fazer Cabos de Rede

Primeiramente vale a pena esclarecer que o método/diagramas mostrados aqui é apenas 1 dos métodos de criação de cabos tipo CAT5 direto ou cross-over. Existem outros padrões/diagramas que também funcionam.

Bem após o aviso, antes de você se aventurar a fazer seu cabo de rede, é importante você definir que tipo de cabo precisa, e é claro, ter em mãos o material e ferramentas necessárias para a montagem.

Não iremos nesta dica explicar em detalhes como montar um cabo de rede mostraremos apenas os diagramas de conexão/ligação do cabo.

Definindo o cabo a ser utilizado:

Como falamos acima existem basicamente 2 tipos de conexão no cabo: direta e invertida (também chamada cross-over).

Cabo direto (ou patch cable): utilizado para ligação da placa de rede ao hub
Cabo invertido (ou crossover cable): utilizado para ligação entre 2 hubs (também chamado cascateamento), ou então para ligar 2 micros pela placa de rede (padrão RJ45) sem a utilização de hub.

Tenha em mãos as ferramentas/materiais necessários que são:
– Pedaço de cabo de rede padrão CAT 5 (4 pares de fios)
– Conectores RJ45
– Alicate de Crimpagem

Diagrama de conexão dos cabos:

Existem vários padrões de conexão dos cabos em uma rede, ou seja da ordem dos cabos internamente no conector. Deixando de lado a discussão de qual padrão é melhor, vamos apresentar o esquema de conexão no padrão EIA 568B.

Esta é a configuração do padrão CAT 5 para cabo direto (ou patch cable) no padrão 568B: veja Tabela 1 e Figura A abaixo.

Tabela 1: Patch cable CAT 5 (EIA 568B)
Conector #1 Conector #2
Branco/Laranja Branco/Laranja
Laranja/Branco Laranja/Branco
Branco/Verde Branco/Verde
Azul/Branco Azul/Branco
Branco/Azul Branco/Azul
Verde/Branco Verde/Branco
Branco/Marrom Branco/Marrom
Marrom/Branco Marrom/Branco
Nota: A primeira cor listada no par, é a cor dominante do fio, ou seja, no cavo azul/banco, é um fio azul com listras brancas e o cabo branco/azul, é um fio branco com listras azuis.

Figura A: Diagrama da fiação no padrão EIA/TIA T568B
Cabo de Rede

Esta é a configuração do padrão CAT 5 para cabo invertido (ou crossover) no padrão 568B: veja Tabela 2 e Figura B abaixo.

Tabela 2: cabo Crossover CAT 5
Conector #1 Conector #2
Branco/Laranja Branco/Verde
Laranja/Branco Verde/Branco
Branco/Verde Branco/Laranja
Azul/Branco Azul/Branco
Branco/Azul Branco/Azul
Verde/Branco Laranja/Branco
Branco/Marrom Branco/Marrom
Marrom/Branco Marrom/Branco

Figura B: Diagrama da fiação Standard e Crossover no padrão EIA/TIA T568B
Crossover  Cabo Cross

Compartilhar: